Quais os riscos de não tratar a cárie?

Muitas pessoas acreditam que a cárie é um problema estético. Por isso, deixam de priorizar o tratamento e adiam a consulta odontológica frequentemente. Mas ela é uma doença e, como toda doença, pode ser prejudicial à saúde. Então, quais os riscos de não tratar a cárie?

Por que é fundamental tratar a cárie?

Primeiramente, é importante saber que a infecção tem a capacidade de evoluir e se tornar bem maior do que uma mancha preta no dente. Ainda mais se chegar no nervo. Dessa forma, as bactérias têm acesso a corrente sanguínea, infectando os tecidos e facilitando o surgimento de diversas condições mais graves. Por exemplo, doenças de natureza cardíaca, pulmonar e cerebral.

O acúmulo de pus na raiz também está na lista de riscos de não tratar a cárie. Até a necrose é uma possibilidade. Consequentemente, o paciente pode ficar sem o dente.

É claro que ainda existem os sintomas mais comuns, como a sensibilidade e incômodo no local. Porém, os casos mais leves ainda possuem potencial para danos colaterais. A dor dentária pode fazer com que a pessoa mastigue menos. Assim, prejudicando a digestão.

Portanto, a cárie é um perigo para diversas áreas do corpo e não só a boca.

Quais são as causas da cárie?

Há alguns fatores relacionados ao aparecimento dessas lesões dentárias. Principalmente, uma rotina de higiene bucal inadequada e o açúcar presente nas refeições.

A placa bacteriana, que é uma aglomeração de microorganismos e restos de comida alojada na arcada dentária, se alimenta da doçura presente nas sobremesas. Isso faz com que ela se desenvolva, criando ácidos.

Outro aspecto que favorece o surgimento das cáries é a falta de escovação noturna. Ou seja, antes de dormir. Afinal, é um longo período de tempo em contato com as bactérias.

Cárie em crianças

A doença pode dar as caras bem cedo na vida das crianças: desde os 4 meses. E os riscos de não tratar a cárie são grandes nesta fase. As consequências duram até a pré-adolescência, aumentando a possibilidade de novas ocorrências.

Por exemplo, é capaz do dentinho permanente do pequeno nascer em local impróprio ou torto se o de leite foi arrancado por causa de uma infecção na polpa gerada pela cárie.

De toda forma, é bom acostumar a criançada a manter a higiene bucal desde cedo. Assim, o hábito irá perdurar até a idade adulta.

Cárie em adultos

Tem quem pense nessa infecção como uma questão estética. E tem que acredita que ela ocorre, apenas, no público infantil. Mas essa não é a realidade. As pessoas mais velhas acabam descartando os riscos de não tratar a cárie. Enfim, não tratam com a seriedade que a situação demanda.

É claro que a preocupação com um sorriso bonito é natural. Já que o desconforto com a própria aparência tem o potencial de provocar ainda mais transtornos no paciente. Seja por razões externas ou pelo receio de uma complicação grave, o atendimento odontológico deve ser procurado o quanto antes.

Como prevenir a cárie?

A importância de ações preventivas está mais clara depois da leitura? Atualmente, existem opções incríveis para auxiliar os precavidos. Exames como o check-up digital odontológico fazem toda a diferença nessas horas. Mas a intervenção caseira também continua sendo essencial.

No fim das contas, estar um passo à frente das cáries é fácil. Seguir uma agenda regular de cuidados com a higiene bucal e realizar o acompanhamento com o dentista é meio caminho andado.

Uma alimentação balanceada, sem excessos de açúcar, desempenha um papel importante na proteção.

Agende uma avaliação com nosso time de profissionais.

Related Post

Publicado por


Comentários no Facebook