Evidência liga estresse com doença periodontal

Controlar seu estresse também pode ajudá-lo a proteger sua saúde bucal, dizem pesquisadores brasileiros. Cientistas revisaram mais de duas dúzias de estudos conduzidos entre 1990 e 2006 para determinar se eventos negativos da vida e fatores psicológicos podem contribuir para uma susceptibilidade aumentada à doença periodontal.

Eles constataram que 57% dos estudos revisados mostravam uma ligação entre estresse, angústia, ansiedade, depressão e solidão e doença periodontal. Níveis aumentados de cortisol — um hormônio produzido pelo corpo em níveis mais elevados durante momentos de estresse — pode ser um fator de contribuição para abaixar a imunidade do corpo, tornando-o mais susceptível à doença periodontal, teorizam os pesquisadores.

Eles também observaram que indivíduos estressados têm maior probabilidade de adotar hábitos que promovem doença periodontal, como fumar, não ingerir uma dieta balanceada, não cuidar dos dentes e gengivas ou adiar as consultas com o dentista.

Os autores do estudo recomendam que os indivíduos tentem reduzir o nível de estresse para proteger sua saúde bucal.

O site da American Dental Association (www.ada.org/public/topics/periodontal_diseases.asp) (em inglês) observa que existe uma variedade de fatores que aumentam o risco de doença periodontal, que incluem:

  • Hábito de fumar ou mascar tabaco;
  • Doenças sistêmicas como diabetes;
  • Alguns tipos de medicação, como esteróides, alguns tipos de drogas contra epilepsia, drogas para tratamento do câncer, alguns bloqueadores de canais de cálcio e contraceptivos orais;
  • Próteses que já não se adaptam corretamente;
  • Dentes desalinhados;
  • Restaurações que se tornaram defeituosas; e
  • Gravidez ou uso de contraceptivos orais.

Às vezes, os pacientes podem ter doença periodontal sem nenhum sinal de aviso, portanto é importante fazer check-ups regulares, escovar adequadamente os dentes, usar corretamente o fio dental e manter uma dieta saudável.

Este artigo tem como objetivo informar e difundir o conhecimento sobre tópicos gerais de saúde bucal. Esse conteúdo não deve substituir a orientação, o diagnóstico nem o tratamento profissional. Sempre procure a orientação do seu dentista ou de outro especialista para quaisquer dúvidas que você possa ter com relação à sua condição médica ou ao seu tratamento.

 

Fonte: Associação Dental Americana e Colgate

Related Post

Publicado por


Comentários no Facebook