Doença dos tempos modernos

A vida agitada que levamos, aliada a quantidade de responsabilidades e preocupações, tornaram a ansiedade e o stress presentes na vida de muitas pessoas, o que independente da idade, sexo ou atividade que exerce. Estes males geram vários problemas à nossa saúde, dentre eles, a DTM, que já atinge praticamente 40% da população mundial. Outros problemas, como falta de dentes e dentição torta, agravam o problema.

Esta sigla significa Disfunção Têmporo Mandibular e afeta muito mais do que a articulação de nossa mandíbula, conhecida como ATM. Esta doença gera dores crônicas, que perduram por muitos anos sem que se descubra sua causa, isso porque a sensação e cansaço e as dores são irradiadas para a cabeça, face, ouvidos, nuca, ombro e costas, dentre outras regiões. A DTM também causa
chiados, zumbidos, estalos, sensação de ?ouvido tampado? e até problemas de labirinto.

O profissional que diagnostica e trata deste problema é o
cirurgião dentista. Mais propriamente, o especialista em DTM, área da odontologia que estuda com profundidade as estruturas afetadas e as possibilidades de tratamento. Segundo o Dr. Claudio Denipoti, especialista do Instituto Santos, atualmente, mais de 90% dos casos são tratados sem necessidade cirúrgica.

Algumas pessoas possuem sintomas constantes, já em outras, os sinais são intermitentes, fazendo com que a pessoa pare de buscar tratamento, na esperança de que o problema tenha curado sozinho, gerando surtos futuros cada vez mais fortes. Ainda segundo o Dr. Claudio, os casos não tratados de DTM podem evoluir para problemas ainda mais sérios, como as nevralgias, por exemplo.

O diagnóstico do problema é efetuado em única sessão e o
tratamento é geralmente conservador, com o uso de parelhos que reposicionam e estabilizam nossa mandíbula. Se você possui alguns destes sintomas e eles estão presentes a algum tempo, você é um provável portador de DTM. Trate o quanto antes para que o problema não aumente e viva muito melhor sem estes incômodos!!

Matéria divulgada no jornal Diário Santista.

Publicado por


Comentários no Facebook